Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017 o único semanário da região
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
Por Redação 27/05/2016 - 20:46:10   |  Atualizado em 03/06/2016 - 11:43:48
 
MINGAU Pereira ou Miguel POEIRA?
Dos 744 km de vias existentes, somente 134 km (18%) têm algum tipo de pavimentação (asfalto, bloquetes ou paralelepípedos)
 
Likes:
Shares: 17
Comentários: 1
 
  Curtidas
  Compartilhamentos
 
 

Malha de ruas e estradas no município. | Foto: Maurício Ruiz |

Divulguei pela minha página no facebook esta semana, informação inédita sobre o estado de conservação das vias urbanas e rurais do município, e o retrato é desolador. Dos 744 km de vias existentes, somente 134 km (18%) têm algum tipo de pavimentação (asfalto, bloquetes ou paralelepípedos). Ou seja, Miguel Pereira é uma cidade de estradas de chão batido, com 610 km (82%) de vias não pavimentadas. Isso significa que desde a fundação da cidade, em 1955, o ritmo de pavimentação das estradas, em média, foi de míseros 2,2 km por ano.


Mas, a informação mais grave é a de que do total das vias mapeadas, 80% (isso mesmo!) estão em PÉSSIMO estado de conservação! Este trabalho foi elaborado com ajuda de voluntários especializados da cidade e imagens de satélite de alta resolução. A falta desses dados demonstra a fragilidade da gestão na Secretaria de Obras há muitas décadas e nos aponta algumas prioridades:


- É urgente a pavimentação de, ao menos, 70 km de vias em áreas altamente urbanizadas. Algumas delas, inclusive, já constam como pavimentadas nos registros da Prefeitura (estranho?!);


- É plenamente possível a manutenção MENSAL de todas as vias de chão batido, considerando a quantidade de máquinas motoniveladoras disponíveis na Prefeitura, utilizando-se o rendimento médio diário deste tipo de equipamento;


- É fundamental a regularização de 3 saibreiras no município, (Centro, Marco da Costa e Arcádia) o que é possível de ser realizado em (pasmem!) 90 dias, conforme matéria veiculada neste jornal, no dia 11 de março;


- A política de asfaltamento do tipo “eleitoral”, que não conta com rede de águas pluviais, nem estrutura básica, compromete em curtíssimo prazo a qualidade do pavimento. O barato sai caro!


- Praticamente todos os sistemas de drenagem (caixas, valas e manilhamento) das estradas de chão batido estão entupidos ou quebrados por falta de manutenção. Ou seja, não adianta passar a máquina sem consertar o sistema de drenagem.


Esta situação gera graves prejuízos de todos os tipos aos cidadãos e aos negócios na cidade, seja com a danificação de veículos, aumento do custo da manutenção, elevação de custos de passagens de ônibus e tarifas de táxis, impactos ambientais com o assoreamento de rios e nascentes, dificuldades de acesso de estudantes ao transporte público escolar com regularidade, aos serviços de ambulância e SAMU, redução drástica de visitantes à cidade e dificuldades no escoamento de produtos agrícolas das zonas rurais.


Acostumei a ouvir, desde criança, que Miguel Pereira tem na verdade dois nomes: MINGAU Pereira, quando chove, e Miguel POEIRA, quando chega a seca. Esta foi a forma descontraída que o miguelense descobriu para superar este drama histórico, mas até quando toleraremos isso? Precisamos de uma política transparente e profissional de transporte público que dê prioridade à manutenção das estradas e à captação de recursos para ampliação das ruas pavimentadas. Esta é uma questão estratégica para o desenvolvimento da nossa cidade. 

 
TAGs  
| Maurício Ruiz | Miguel Pereira | MINGAU Pereira | Miguel POEIRA | vias existentes | poeira | lama | |
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
Comente  
 
 
Notícias Relacionadas
     
LIVRO - MIGUEL PEREIRA
A verdadeira meditação é o amor!
 
 
FESTA RELIGIOSA - MIGUEL PEREIRA
Festa de N. S. da Glória, sucesso absoluto!
 
 
veja mais...
 
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
 
PUBLICIDADE
Anuncie Aqui
 
 
Jornal Regional    
Editora Panorama Real Ltda ME    
CNPJ: 21.153.071/0001-02    
     
 
 
Copyright© 2017 - Todos os Direitos Reservados | Proibida a reprodução total ou parcial do conteudo do Jornal Regional para fins comerciais Desenvolvimento: Desenvolvido por RG7 Designer