Francisco Tavares, o Fundador de Paty do Alferes

<p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">Em meados de 1730, o Alferes e depois Capitão Francisco Tavares já completara as obras de sua fazenda na atual região de Arcozelo, em cujos domínios erigiu um pequeno templo em honra de Nossa Senhora da Conceição, berço da famosa Fazenda da Freguesia, patrimônio atualmente conhecido como Aldeia de Arcozelo.<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">O Ofício Divino destinado a reconhecer a pequena ermida do Alferes Tavares foi diretamente facultado à capela pelo Reverendíssimo Bispo D. Francisco de São Jerônimo, então assentado na Diocese do Rio de Janeiro, documento religioso referendado em 13 de abril de 1739 tanto pelo Reverendíssimo Bispo D. Frei Antônio de Guadalupe, sucessor de D. Jerônimo, como pela Corte do Rio de Janeiro. Essa data, na realidade, corresponde ao nascimento de Paty do Alferes, pois uma Freguesia somente se via reconhecida pela Coroa Portuguesa se uma capela católica fosse devidamente confirmada pelas provisões religiosas expedidas pelas Dioceses das Províncias Brasileiras. Por conseguinte, a Fazenda da Freguesia tornou-se a sede do arraial que surgia, abrangendo então as glebas que atualmente circunscrevem Arcozelo e seus bairros periféricos.<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">De pronto, a Roça do Alferes Tavares tornou-se conhecida, passando a ser ocupada pelos tropeiros e fazendeiros que demandavam o Caminho Novo de Minas e as demais estradas abertas pelo Tinguá. Em razão da presença de numerosas palmeiras chamadas paty ou patioba na região ? e também pelo fato de o Alferes ter plantado alguns espécimes na Freguesia ? o pequeno povoado passou a ser conhecido como <b><i>?Os Patys do Alferes?</i></b>. Por conseguinte, em vista de insistentes pedidos da família Tavares e de outros latifundiários já radicados na vila, o Reino de Portugal, no dia 13 de abril de 1739, por fim expediu um Alvará Real criando oficialmente, junto à Serra do Couto, a VILA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO DE SERRA ACIMA DA ROÇA DO PATY DO ALFERES, designação perfeitamente ajustada às maravilhosas raízes históricas da nascente Freguesia.<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">Tavares nasceu em 1665 no Alentejo, em Portugal, vindo ainda bem jovem para o Brasil. Após se estabelecer em Iguassú (hoje Nova Iguaçu), conheceu Isabel Correia de Oliveira e com ela se casou na forma do Sagrado Concílio Tridentino no dia 10 de janeiro de 1700, tendo como padrinhos o Governador Sebastião da Veiga Cabral e Bárbara Correia de Oliveira, irmã da noiva.<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">O casal gerou os seguintes filhos: FRANCISCA CORREIA TAVARES (nascida em 20 de julho de 1700, com descendência desconhecida); SEBASTIANA CORREIA TAVARES (nascida em 8 de julho de 1702 e falecida na infância); SEBASTIANA CORREIA DE OLIVEIRA (nascida em 30 de dezembro de 1703, e logo batizada com o nome da irmã morta prematuramente. Casou-se com Bartolomeu dos Santos Rodrigues, natural de Lamego, Portugal. Seu filho Manuel dos Santos Rodrigues casou-se com Luiza Maria das Virgens, natural do Pilar de Iguaçu); JOÃO CORREIA TAVARES (nascido em 24 de julho de 1706, casou-se com Ana Maria Pedrosa de Morais. A filha Maria Águeda Corrêa casou-se com Tomé Gonçalves, natural do Pilar de Iguaçu. A outra filha ? Mariana das Neves Correia ? esposou Pedro Corrêa e Castro, vindo, portanto, a ser mãe de Laureano Corrêa e Castro, o Barão de Campo Belo, de Vassouras, enquanto o filho Antônio Vicente Ferreira casou-se com Rita Maria da Conceição, de Inhomirim); ANTÔNIO INÁCIO CORREIA DE OLIVEIRA (com data de nascimento desconhecida, foi o único filho do Capitão Tavares a morrer em Pilar do Iguassu, hoje Duque de Caxias, já que os demais faleceram na área de Paty e Vassouras) e INÁCIO CORREIA TAVARES (nascido em 18 de julho de 1712. Casou-se com Maria Inácia de Jesus, natural de Iguassú).<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">Nomeado Capitão em 17 de fevereiro de 1709, Francisco Tavares acompanhou o Governador Antônio Albuquerque para combater René Duguay-Trouian, quando da invasão francesa ao Rio de Janeiro em 1711, descendo a serra pelo Caminho Novo à frente de cerca de 6.000 homens até o Porto de Iguassú. Pela coincidência de datas, queremos crer que Tavares tenha conhecido Garcia Rodrigues Paes ? uma vez que o bandeirante fora em socorro da cidade para dali transportar o ouro em segurança para o Alto da Serra ? e também João Werneck, este o fundador da estirpe Werneck que tanto progresso carrearia para as terras patienses alguns anos depois.<o:p></o:p></span></p> <p class="MsoNormal" style="text-align:justify;text-indent:21.3pt"><span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif">Um pequeno fato digno de nota é que o Capitão Tavares, perdendo a segunda filha ? Sebastiana ? na infância, manteve este nome para a terceira filha, apenas distinguindo-as nas certidões pelo último sobrenome. Na falecida, acrescentou o seu (Tavares) e na outra apôs o de sua esposa (Oliveira).<o:p></o:p></span></p> <span style="font-size:11.0pt;font-family:&quot;Arial&quot;,sans-serif;mso-fareast-font-family: &quot;Times New Roman&quot;;mso-ansi-language:PT-BR;mso-fareast-language:PT-BR; mso-bidi-language:AR-SA">Podemos ainda registrar que Paty do Alferes veio a ser fundada e praticamente colonizada por famílias vindas da região do Pilar (Caxias) e Iguassú, pois tanto o Capitão Tavares, a princípio, quanto os Werneck, alguns anos depois, originavam-se das pioneiras localidades nascidas na Baixada junto às saídas do Caminho Novo de Garcia Rodrigues Paes e da Variante do Major Bernardo Soares Proença.</span>