Esquartejou em três, a namorada que conheceu na Internet

Foi encontrado, no sábado, dentro da caixa d?água da casa da vítima

24/01/2016 Policial

Geovane Brea, 25 anos, foi preso por policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) ele é acusado de matar e esquartejar a professora da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Andreia Oliveira Pinto, 37, em Paracambi. O corpo da docente foi dividido em três partes e encontrado no sábado dentro da caixa d’água da casa da vítima. O crime ocorreu no último dia 30. Segundo a Polícia Civil, Geovane confessou o crime e deu detalhes do ocorrido.

A professora foi morta após ser agredida durante uma discussão por ciúmes. O jovem, dois dias depois, resolveu então cortar o corpo dela em pedaços. Ele usou uma faca de serra. — O rapaz não demonstrou nenhum tipo de arrependimento. Ele ficou com o corpo dela em casa durante um tempo e depois resolveu esquartejar porque não sabia o que fazer com ele.

Prendemos Geovane na casa de um amigo em São Gonçalo (Região Metropolitana do Rio) - conta o delegado adjunto da DHBF, Evaristo Pontes Magalhães. Geovane e Andreia tinham um relacionamento de apenas dois meses, segundo afirmou familiares para os policiais. Ela era funcionária da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.

O rapaz já teve a prisão temporária decretada pela justiça e deve responder por homicídio qualificado, além de ocultação de cadáver. A pena pode chegar a 30 anos. A Polícia está investigando também o desaparecimento de Diana Rodrigues. Ele também tinha um relacionamento com Geovane e está desaparecida desde o ano passado.

O que chama a atenção é que o Facebook de Diana estava sendo utilizado por outra pessoa que ameaçava Geovane e Andreia. A suposta Diana diz também no Facebook que teria matado Geovane e cortado sua cabeça. Diante disso, acredita-se que o próprio Geovane estaria utilizando o Facebook da moça da despistar.