Jornal Regional recebeu o prefeito eleito de Paty do Alferes, Juninho Bernardes do PV

As primeiras medidas, o meio ambiente, o servidor público, Avelar, falta d\\\\\\\'água, etc.

14/10/2016 Eleições 2016

O Jornal Regional recebeu o prefeito eleito de Paty do Alferes Juninho Bernardes, formado em Administração de Empresas e filho de tradicional família de políticos, para uma entrevista sobre os desafios de administrar a cidade em meio à crise que o estado e o país estão passando. As primeiras medidas, o meio ambiente, o servidor público, Avelar, a falta d’água, etc.

Qual seu primeiro Projeto a sair do papel?

O primeiro Projeto a sair do papel será o “Ticket Feira” que será usado na Feira de Agricultura Familiar e Orgânica de Paty do Alferes, que é o meu carro chefe, o nº 1, porque você fixa o produtor na cidade, incentivando a produção. Você fixa o dinheiro movimentando a economia local, porque grande parte do que você compra hoje na cidade o dinheiro vai embora. Venho acompanhando esse Projeto há muito tempo. Ele foi implantado há 8 anos no município de Venda Nova do Imigrante, Espírito Santo,  município que foi pioneiro nesse instrumento de desenvolvimento social e econômico. É um município equivalente ao nosso em tamanho e idade, foi emancipado no mesmo ano que Paty e tem a mesma população 23.000 habitantes, um clima igual, mesma monocultura do tomate, o índice de chuvas é similar e conta com uma forte presença de descendentes de italianos.

Como e quem vai receber o Ticket Feira?

Vou fornecer para todos os funcionários públicos, independente de que níveis eles forem. Todos os servidores vão receber o Ticket, que só poderá ser usado naquele dia específico da feira. Em Venda Nova foi muito interessante; no começo, o agricultor chegava com um gol abarrotado de mercadorias e depois se via trocando por um carro de carroceria, melhorando de vida e transportando não só mais volume, como também maior diversidade dos seus produtos.

Tem ideia de quanto o senhor vai destinar para esse Projeto?

Hoje, em Venda Nova, o tíquete está em R$ 84,00/mês. Eu penso que deve ficar entre esse valor e R$ 100,00. Como a prefeitura tem cerca de 1.300 funcionários, serão cerca de 130 mil reais/mês e 1,5 milhão e meio por ano injetado diretamente na agricultura familiar de Paty. Vai incentivar e garantir uma venda mínima deles em todo tipo de mercadoria, pão caseiro, queijo, leite, agregar o artesanato, e gerar um turismo.

Qualquer feirante pode participar dessa feira?

Para receber esse benefício, o munícipe tem que ser produtor de Paty. Ele tem que produzir na cidade não poderá comprar produtos em outros municípios para revender na feira.

Aonde será que essa feira funcionará?

Inicialmente pensei na Praça do Centro da Estação, já que tem uma estrutura coberta,  banheiro próximo e um estacionamento da Prefeitura ali perto do Fórum, mas eu quero fazer a Feira definitiva ali no calçadão do Dílson. Eu conto com um dinheiro federal de 800 mil reais, ainda fruto de emenda do meu pai para infra-estrutura urbana. Quero fazer uma estrutura já montada, fixa, para os expositores e quero cobri-la por causa dos dias de chuva. Em Curitiba, há uma instalação que foi feita assim e ficou muito bonita. Mas para começar, não dá tempo para instalar tudo, por isso vou começar ali na estação mesmo.

E o município?

Hoje, o grande desejo da população é colocar as coisas para funcionar e que não estão funcionando. Há muito maquinário quebrado, pedidos de exames muito atrasados, posto de saúde sem cumprir horário direito. Se você coloca o posto de saúde funcionando, você desafoga a Fundação. Providências quanto à limpeza da cidade, e enfim, dar um choque de ordem.

Você foi eleito pelo Partido Verde, e acredito que haja uma cobrança maior no âmbito da questão ambiental. O que você pensa sobre isso?

O meio ambiente foi onde eu mais legislei enquanto vereador. Paty tem 4% de cobertura vegetal, e esse é nosso maior desafio, junto com a água e o reflorestamento das nascentes. Já estive, nesta semana, com o secretário de estado do Ambiente, André Corrêa, e foi uma excelente reunião. Paty precisa muito de reflorestamento e nessa área existem recursos da Câmara de Compensação Ambiental (CCA) com recursos do BID. Quero reflorestar as nascentes. Além do mais, o ministro do Meio Ambiente é do PV e já estamos estudando várias parcerias. Também estive com o secretário de estado de Agricultura, Cristino Áureo, que tem parceria com o Banco Mundial.  Acho que temos que buscar esses tipos de recursos, e nesse momento não dá para esperar muita coisa do Estado. E minha ideia é destinar o ICMS Verde apenas para o meio ambiente.

Existe um projeto de captação de água e ampliação da atual estação de tratamento de água. O que o senhor pensa sobre isso?

É a captação de água do Rio Fagundes. Mas não quero que a água seja tratada na atual estação de tratamento. Quero que seja tratada lá perto, pois assim eu venho distribuindo água tratada por todos os bairros em que a tubulação vem passando, ou seja, Rio Pardo, Coqueiros, Capivara, Maravilha, atravessa Arcozelo e chega em Bela Vista, Caetés, Campo Verde e Barro Branco. A gente só vai conseguir isso se colocar a Estação de Tratamento lá e cima, junto do Rio Fagundes. Essa é uma obra para 40 milhões de reais, e não será fácil. A outra solução é mais fácil, mas não coloca água tratada na zona rural.

E 2017?

Será um começo de governo muito difícil. 2017 será um ano para por as coisas para funcionar e colocar uma equipe para captar recursos em todas as áreas. Hoje, o grande desejo da população é por as coisas para funcionar,o que não está acontecendo.  Como já mencionei anteriormente, o maquinário está muito quebrado, os pedidos de exames muito atrasados, posto de saúde sem cumprimento de horário direito. Se você põe o posto de saúde funcionando, você desafoga a Fundação.

Folha de pagamento?

Vou manter a folha de pagamento o mais enxuta possível. Não vamos preencher todos os cargos de confiança e nem os de secretário. Devo acumular duas ou três secretarias e meu vice outras duas ou três, por pelo menos uns 4 meses. Só aí já representa uma economia de mais de 100 mil reais. Temos como meta não nomear 10% da folha de pagamento.

E a Fundação?

Continua a mesma relação. Quero colocar os PSFs para funcionar, e com isso dá para desafogar a Fundação, mas quero estudar essa questão com calma. Quero fazer um centro de diagnóstico de imagens com parcerias de Paty, de Miguel e da Fundação. Acho que esse centro de imagens é muito importante. Eu ouvi muito o André falar em municipalização, e eu não sei exatamente o que ele pensa em relação a isso. Vamos sentar para discutir esse assunto.

E a Maternidade, o que você pensa em fazer?

Penso em algumas coisas, mas nem falei nada a respeito durante a minha campanha. Quero estudar melhor os dados para poder falar o que vamos fazer. Depois a gente fala sobre ela.

Nomes do secretariado?

Defini muito poucos nomes. Na verdade, só o Procurador Jurídico, que será o Marcelo Mourão e a secretária de Fazenda, que será Cristina Rocha Santos. Ela  foi secretária do meu pai, do Fernando Pontes e de mais dois prefeitos da Região dos Lagos. A Cristina é muito técnica, muito dinâmica, tem muito gás. Ela sabe tirar o melhor de cada um alí.

Enxugamento de Secretarias?

Eu acho que as Secretarias ajudam a captar recursos, e o que acho que deve ser feito é reduzir os cargos de confiança que vêm embaixo. É muito fácil e demagogo você acabar com uma Secretaria e criar um monte de cargos em outra. Na verdade, você tem que enxugar é a ramificação da Secretaria. Eu devo acumular o cargo de secretário de Segurança e Ordem Pública e o de Administração. A Secretaria de Esportes, por exemplo, não adianta colocar dentro da de Educação, porque nós temos excelente relação com o secretário de Esportes do estado e com o ministro do Esporte. Então acho que é ruim para captar, já que ela se paga.

Hoje, se não houver um bom Projeto, não se consegue captar recursos?

Por isso vou trazer uma pessoa do Sebrae para estar coordenando essa parte de projetos, treinando toda a equipe e capacitando servidores do quadro permanente da Prefeitura.

Conselhos Municipais?

Quero colocar muitos conselhos funcionando, dar poder à sociedade civil, já que nós estamos em uma mudança de mentalidade. Vou fazer meu governo voltado para isso. Eu vou estar muito nas ruas.

Você pensa em aproveitar projetos de outros candidatos?

Sim claro. Você vê; existe um projeto que deu muito certo, que é Projeto do Cultivo Protegido em estufas. É um projeto que o Bira trouxe e o Rachid levou em frente. Sempre falei bem dele nos palanques e vou dar continuidade. A Prefeitura entra com a Patrulha Agrícola fazendo o platô, que para o produtor sai caro, e o produtor entra com as estufas. Elas estão dando muito certo para o tomate cereja, tomate italiano, pimentão colorido, e já se está indo para o pepino e uma série de outras produtos. E é um caminho que está abrindo muitas portas para Paty. Estou ainda estudando umas outras ideias que o Otoniel tinha sobre mobilidade. Enfim, o que tiver viabilidade e for bom, não tem problema.

Câmara de Vereadores, qual a expectativa?

A expectativa é de parcerias. Não tem como estar em Brasília ou no Rio correndo atrás de recursos, administrando a parte burocrática e 1.500 servidores. Vai ter uma coisa ou outra que pode escapar. E são os vereadores que estão em contato o tempo todo ajudando a fiscalizar e indicando o que não está legal.

Segundo Distrito?

Quero montar uma subprefeitura de verdade em Avelar para atender o distrito, bem como a Granja, onde os seus moradores possam abrir processos e acompanhar os seus andamentos, acabando com a necessidade de irem até ao centro da cidade para tal. Pretendo dar um atendimento mais humano na coisa, considerando que hoje em dia tudo é informatizado. Hoje só existe uma distrital tratando de limpeza. Existe um modelo de gestão oriunda da Agenda 21, que divide Paty em 7 Regiões, e quando eu li,  gostei muito.

CONVITE

Gostaria de fechar esta entrevista e convidar a população para neste domingo participar do culto ecumênico que vamos realizar na quadra coberta de Avelar, por volta das 11hs. Após o culto, às 12:30hs, vamos fazer um churrasco comemorativo, com showzinho ao vivo, para estar agradecendo a população pela  vitória que juntos  alcançamos.