Entrevista com Jauldo Neto, prefeito eleito de Paulo de Fontin

Com a maior cobertura de Mata Atlântica, como Paulo de Frontin pode estar na 51º do ICMS Verde?

03/12/2016 Eleições 2016

Jauldo Neto, 37 anos, empresário do ramo de transportes de contêineres no Porto de Itaguaí há mais de 13 anos, depois de 2 mandatos como vereador (2004 e 2008) e uma tentativa para prefeito (2012), se elege ao cargo máximo da cidade de Engenheiro Paulo de Frontin com expressiva votação. Jauldo vai implantar na gestão municipal todos os princípios que o fez um empresário vitorioso, e acha que a gestão pública passa por fortes transformações visando a probidade com o dinheiro público.  Vai buscar aplicar na prefeitura da cidade os mesmos padrões que todo cidadão tem dentro de casa, como gastar apenas o que se tem, cumprir com os compromissos assumidos e transformá-la em uma cidade mais justa e com mais oportunidades.

1. Jauldo, o senhor é um empresário de sucesso e dirige uma grande empresa de transportes no Rio de Janeiro, por que ser prefeito?

Eu nasci aqui e quero a minha cidade com oportunidades para todos, especialmente para os mais simples. Essa diferença de tratamento sempre me incomodou muito.    Nós podemos entrar em uma farmácia e comprar um medicamento, mas muita gente morre porque não tem esse poder, e acho que a Prefeitura tem que abraçar essas pessoas. Não é possível que alguém morra por falta de medicação...

2. Falta medicação na Farmácia Municipal?

Paulo de Frontin não possui uma farmácia centralizada, e hoje, todos os medicamentos são distribuídos para os postos. Além de haver desperdício do pouco que se tem, infringe a legislação. Desejo centralizar em um só local todos os medicamentos, em ambiente refrigerado, com local adequado de armazenamento, geladeiras para as medicações não perderem validade e seu efeito terapêutico, bem como gerador para não se perder toda a medicação em caso de falta de energia elétrica, fato que é muito comum em nossa região.

3. Na campanha, o senhor defendeu que as pessoas que usam medicação de uso contínuo terão prioridade, como é isso?

Todos os moradores que fazem uso de medicação de uso contínuo receberão seus remédios em casa. Não faz sentido obrigar essas pessoas a irem a um posto de saúde todos os meses para pegarem sua medicação, principalmente porque a maioria   dessas pessoas são idosas.

4. Qual a situação jurídica da Irmandade?

A Irmandade está devendo muito, e sem as certidões que a Lei exige, ela não consegue receber as verbas federais. Se eu passar recursos nessas condições estarei praticando uma infração administrativa, e isso eu não faço. Por isso vou municipalizar a Urgência e Emergência, usando a estrutura deles com os profissionais da prefeitura.

5. E a maternidade?

Vou reabri-lá só para cesarianas e ligaduras.  Para outras demandas, vamos fazer parceria como Hospital Escola de Vassouras.

6. Como está o atendimento de exames?

Essa parte está um caos, e teremos que mexer pesado na Saúde. Hoje, para se fazer um Raio X é necessário esperar 6 meses, e para a tomografia, a espera é de 3 anos. Meu grande sonho é um centro de imagem com tomógrafo, mamógrafo, eco-doppler, raio x, laboratório, eco cardiograma e endoscopia, vou trabalhar para isso.

7. Paulo de Frontin tem a maior cobertura de Mata Atlântica do Estado do Rio.  Como o município pode estar na 49ª colocação do ICMS Verde?

Pois é, eu também nunca entendi. Nós vamos fazer o maior programa de criação de RPPNs de nossa região. Vamos apoiar, entrando com a infraestrutura e a topografia. Minha determinação é subir muito no ICMS Verde. Vamos servir de exemplo para a região.

8. E o Instituto Federal?

O que está acontecendo na cidade hoje em dia é que temos esse importante instituto de formação técnica, mas metade dos alunos não são daqui, quem absorve são alunos de outros municípios. Por isso vamos criar um curso preparatório para que nossos estudantes tenham mais chances de entrar no Instituto Federal e também para poderem participar de concursos públicos. Estamos perdendo oportunidades por falta de melhor preparação.

9. E a escola de alunos especiais CMAE?

Quero trazer a escola de alunos especiais para mais perto de nós.

10. O que o senhor pensa sobre a municipalização dos CIEPs, que o governo do estado está promovendo?

É meu sonho ter uma estrutura como aquela e sem gastar um tostão para construir. Darci Ribeiro foi um gênio da educação. Se me derem a oportunidade, eu municipalizo e coloco duas escolas municipais lá dentro.

11. Como será a relação com os vereadores?

Nossa coligação fez cinco vereadores e três já decidiram nos apoiar. Das nove cadeiras da Câmara, teremos oito vereadores apoiando nosso governo.

Política industrial

12. O senhor tem um projeto para geração de novos empregos?

Eu sou do ramo dos transportes, sei que a logística para cá não é boa e por isso não adianta fazer projeto sonhador. Quero trazer o pequeno e médio empresário para cá, porque eles têm o desejo de crescer. Muitas vezes lhes falta estrutura e alguém que lhes ajude. Eles trabalham para colocar comida em casa, e se investirem, pode faltar. Assim, acabam não fazendo nem uma coisa nem outra e terminam fechando. Então vou fazer galpões para esses empresários se instalarem na cidade, com luz, internet e água na porta, com cedência para eles por 20 anos, mas com o compromisso de gerarem 50 empregos diretos. O que as pessoas esquecem é que para cada emprego direto, outras dezenas de empregos indiretos são criados. Muitas vezes os empregos indiretos são muito maiores do que os diretos, como a família que faz quentinha, o taxista que precisa levar um documento ao Rio, o moto-taxi, o hotel, entre outros mais. São várias situações que vão se agregando, e é essa a cadeia, essa teia de empregos que queremos fomentar. É esse o modelo de Polo Industrial que quero implantar.

 

13. Com que recursos o senhor quer fazer isso?

Já me convenci que terá que ser via Brasília. Até agora, já consegui 7 milhões de reais em emendas.

14. “Prefeito Perto de Você”, como é isso?

Esse é um projeto do qual já falei muito. Uma vez por mês iremos para um bairro com todo secretariado para recebermos e ouvirmos os seus moradores. Será uma vez por mês porque nesse prazo quero resolver pelo menos 50% dos problemas, e vou estar lá para acompanhar as soluções.

15. Para janeiro já há alguma coisa?

Já acertei com o Ministério do Esporte o programa “Brincando com o Esporte”, que é uma colônia de férias para 400 crianças, e que estará ativa agora, a partir de 16 de janeiro. Quero trazer a “Lona Cultural” com teatro, do Ministério da Cultura, e também quero, em todo final de semana, levar a cada bairro, um trio elétrico, brinquedos, algodão doce e pipoca para as crianças, promovendo o que será o “Domingo Feliz”. 

16. E as dívidas que o senhor herdará? Para nós concluirmos, como está a transição? Como estão os números da Prefeitura de Paulo de Frontin?

Dívida para trás eu não pago nenhuma, não sou obrigado. Se houver recursos relativos a essas dívidas tudo bem. Só de cargos comissionados são 600. Eles estão 30 anos no poder, nunca tiveram que fazer transição e agora vão ter que fazer. Agora, será diferente, mas, de qualquer forma, eu só vou ter acesso mesmo a partir do dia 1º. Outra coisa: com relação ao IPTU, tanto a 1ª via quanto a 2ª via poderão ser tiradas através do próprio site da prefeitura, que será ágil.