Com 13 milhões em dívidas, prédio e equipamentos do Hospital Fundação estão em risco

11 milhões de dívidas já auditadas e proibição de receber qualquer recursos públicos põe todo o patrimônio em risco

19/03/2017 Saúde Pública

O Hospital Fundação (HSAE) vem passando por enormes dificuldades. Depois de 13 anos de contas reprovadas pelo Ministério Público Estadual e a tentativa de uma cogestão com a Prefeitura Municipal de Miguel Pereira, que havia procurado a diretoria do Hospital para que, com o acordo assinado, pudessem juntos tentar reverter a situação, o Ministério Público Estadual vetou qualquer tipo de repasse de recursos público para a Fundação, devido as contas rejeitadas e aos mais de 11 milhões em dívidas, que foi possível auditar. A própria direção da Fundação reconhece que são 13 milhões de reais, mas segundo fontes consultadas, esse número passa de 16 milhões.

No inicio do mês, assim como mostra o documento anexado nesta matéria, o Ministério Público recomenda, em documento oficial, que a Prefeitura não faça qualquer tipo de repasse de verbas públicas ao Hospital, e que o presidente da Fundação não receba qualquer verba pública, sob pena de responsabilidade por ato de improbidade administrativa.

Tal fato preocupa não só a população, mas a todos os envolvidos e principalmente ao prefeito, uma vez que o Hospital Fundação, construído por meio de arrecadação, seja agora destinado ao pagamento das dívidas acumuladas ao longo dos anos.

Hoje, a preocupação dos gestores públicos é garantir o patrimônio do Hospital, uma vez que os credores da Fundação podem requerer na justiça os bens patrimoniais conseguidos por meio de doações da população e de recursos públicos.