Projeto Tilápia, a revolução da zona rural

?Em 2017, o ano será de implantação, conhecimento e adaptação, mas 2018 queremos estar entre os maiores produtores de tilápia no estado, gerando emprego, renda e qualidade de vida na zona rural?. Prefeito André Português

02/06/2017 Desenvolvimento

A parceria entre a Prefeitura e a MP Distribuidora de Alimentos, que hoje funciona em uma área de 2.000 m² em Governador Portela, pode transformar o município de Miguel Pereira em um forte produtor e exportador da tilápia, que é um peixe rústico que aceita bem qualquer estado e é de grande procura tanto no Brasil como no exterior. A tilápia é o peixe que é mais criado em cativeiro no mundo, e segundo o prefeito André Português, “queremos que a tilápia seja uma boa alternativa econômica e de geração de emprego na zona rural de Miguel Pereira. Temos o mais difícil, que é a garantia da compra do peixe dos criadores pela MP Distribuidora, por isso nossa parceria para ampliar a base industrial com uma área maior, possibilitando a empresa sair de 20 para mais de 100 vagas de empregos diretos na indústria. Isso também é muito importante, e será nessa nova estrutura industrial que vai ser limpo e preparado o filé de tilápia para o consumo, venda e exportação da “Tilápia do 3º Melhor Clima do Mundo”. Tudo indica que será perto do Condomínio Industrial, no 3º Distrito. 

O pequeno produtor da zona rural

“Nós apoiaremos o pequeno produtor cedendo o tanque de 6m³, os 5.000 alevinos, e a ração de crescimento serão adiantados pela MP Distribuidora, além de garantir a compra de toda a produção que a zona rural conseguirá produzir. Todo esse sistema dará ao produtor uma renda extra de cerca de 3 a 5 mil reais, por tanque, a cada 5 meses e é isso que nós queremos” garantiu o André Português.

Segundo Alessandro Lacerda, proprietário da MP Distribuidora de Peixe, “com o “Projeto Tilápia,” vamos transformar a nossa empresa, de distribuidora para uma processadora de alimentos, e vamos ter que ampliar em muito nosso quadro de funcionários em vários setores, como processadores, embaladores, estoquistas, peixeiros, motoristas, etc., para dar conta das toneladas de tilápias que o município passará a produzir.  Estamos optando por tanques pequenos de até 6m³ porque a taxa de mortalidade é menor, é mais fácil controlar o ph da água e há mais facilidade em alimentar a tilápia” disse o empresário.

O 2º e 3º tanque de tilápia

A parceria entre a Prefeitura e a beneficiadora disponibilizará o primeiro tanque e os primeiros 6.000 alevinos. Isso não quer dizer que o criador não possa ter o 2º e o 3º tanque, uma vez que esse aumento dependerá do acerto com o comprador da produção, mesmo porque a ração será fornecida por essa empresa compradora. “É importante ter esse controle, não só para termos a quantidade exata de ração que teremos que adquirir no mercado, mas também para sabermos quanto teremos de disponibilidade de tilápia para colocarmos no mercado” disse Alessandro Lacerda, da MP Distribuidora de Alimentos. Os produtores poderão adquirir novos alevinos de tilápia, e cada um gira em torno de R$ 0,16. Cada tilápia consome 300 gramas por mês de ração, o que dá 1,5 kg de ração específica para crescimento nos 5 meses, tempo entre o recebimento dos alevinos e a compra da produção para o beneficiamento em filés.

Festival da Tilápia - Turismo Gastronômico

Segundo o prefeito, “queremos transformar o município no maior produtor de tilápia do estado e queremos que todo comércio ganhe com esse projeto e para isso estamos programando para 2018, o 1º Festival Gastronômico da Tilápia do 3º Melhor Clima do Mundo, queremos trazer turistas para experimentar nosso produto que vai dar o que falar” disse o prefito.