Motocross em Miguel Pereira - 40 anos de História

A cidade de Miguel Pereira e a Fazenda Santa Rosa passaram a ser referência no Motocross do estado

30/06/2018

No verão de 1975, andando de moto pelas ruas da cidade do Rio de Janeiro, eu conheci Antônio Paim Cunha, o Toninho. Nós tínhamos amigos em comum e, por coincidência, uma prima dele morava na minha rua e foi ela quem me avisou que o Toninho estava me convidando para passar o feriado da Semana Santa na sua fazenda em Miguel Pereira, e, para reforçar, disse que haveria uma corrida de motocross. Como eu havia assistido a primeira corrida da modalidade no Rio de Janeiro, nas areias da praia do Leme em 1973, e acompanhado o Campeonato Carioca de 1973 e 1974 no Clube Luso Brasileiro em Campo Grande, não perderia essa corrida pioneira de Miguel Pereira por nada.

Eu, Toninho, Zé das Galinhas e Índio fomos de moto para a Fazenda Santa Rosa e lá conheci Roberto "Beto" Paim e Assis "Ninô" Paim. Beto havia feito uma ótima pista e, como a notícia se espalhou, apareceram pilotos de diversas cidades, a maioria para estrear numa competição que era pirata, pois não tinha organização do Moto Clube do Brasil, que era o responsável pelas corridas no estado.

No dia da corrida, me lembro bem do Márcio Campos, que veio rodando com sua moto de Petrópolis, Paulo Lyra, também de Petrópolis, com cara de menor de idade (acho que realmente nem tinha 18 anos) e da mesma cidade o Benjamim "Bim". O Mário Calcia, com um pouco mais de idade, foi o vencedor na categoria 125 cc, Ybere Matorim foi o vencedor na 250 cc; tinha também o Eduardo Sodré, Luiz Henrique Rimes, o "Quinha"... não vou lembrar de todos, mas Beto Paim era o piloto anfitrião, e muitos outros alinharam para a corrida que foi disputadíssima. O mais importante é que naquele dia foi lançada a semente e o motocross passou a fazer parte de Miguel Pereira, apesar da fazenda estar em Massambará, Vassouras, mas todos chegavam nela por Miguel Pereira e, quando caía a noite, iam se divertir em Miguel Pereira e assim a cidade passou a ser a referência.

O sucesso da corrida foi tão grande que começou um movimento para que acontecesse ali o Campeonato Estadual e para isso a pista teria que ser homologada pelo Moto Clube do Brasil. Na época, o presidente era o Osório Ferreira  que, numa das tradicionais reuniões às quintas-feiras na sede do clube na Rua Ceará, Praça da Bandeira, Rio de Janeiro, foi convencido a enviar para Miguel Pereira um diretor, o Sr. Jorge, para conhecer a pista. Fomos para Miguel Pereira num final de semana e o Sr. Jorge foi de ônibus, alguém ficou incumbido de pegá-lo na cidade e levá-lo pra Santa Rosa, e foi isso que aconteceu. Sr. Jorge viu a pista, fez um doce pra valorizar o seu trabalho, fez alguns comentários e nenhuma exigência maior, que eu me lembre, terminando por homologar a pista.

A primeira corrida no RJ, a da praia do Leme, era num terreno plano e só com areia de praia. Depois o campeonato passou para o Clube Luso Brasileiro, outra pista plana e com um salto feito tendo como apoio uma enorme manilha de esgoto. Portanto, a pista da Santa Rosa, com subidas e descidas e muitos saltos, era indiscutivelmente a melhor que os pilotos já haviam andando e, assim, o Campeonato do Rio de Janeiro passou a ser disputado em Miguel Pereira, tendo até cinco etapas disputadas numa única temporada.

A cidade de Miguel Pereira e a Fazenda Santa Rosa passaram a ser referência no Motocross do estado com surgimento de pilotos locais, que tinham casa em Miguel Pereira, como Mauro Peixoto, Augusto Haddock Lobo, o Alemão, Fernando Vilela, Álvaro Borgerth e muitos outros, sem contar os três Paim, Beto, Ninô e Toninho, sendo que este último participou de menos corridas porque era mais ligado no surf.
Naquela época me lembro de pelo menos três diferentes pistas que foram construídas, em locais diferentes, dentro da Fazenda Santa Rosa e que receberam um público de milhares de pessoas para estas provas do Campeonato do Rio de Janeiro.
Também não posso esquecer que em 1985, quando fiz minha estreia na TV como produtor e apresentador do programa Bike Show, TV Record RJ, primeiro programa no Brasil para falar de motociclismo, a primeira prova de motocross que fui fazer a cobertura jornalística foi na Fazenda Santa Rosa, debaixo de muita chuva. Com o programa no ar, o motocross do RJ cresceu muito e os campeonatos ficaram com uma mega organização, uma necessidade de espaço muito grande para os boxes onde se pudesse alojar todos os ônibus e caminhões das equipes e um estacionamento para milhares de carros. Talvez a Fazenda Rosa comportasse, mas os caminhos estreitos para chegar nela não comportariam. Assim, as competições foram para Petrópolis, Teresópolis, Friburgo, Três Rios, Campos e muitas outras cidades, ficando a Fazenda Santa Rosa e a cidade de Miguel Pereira guardadas no coração dos pioneiros como ponto de partida de muitas carreiras de sucesso.

 

jornalista João Mendes