Prefeito implanta tratamento de Equoterapia Municipal

O tratamento com cavalos é eficiente para muitas disfunções físicas e mentais, que proporciona aos participantes perceberem suas potencialidades e minimizarem suas deficiências

30/06/2018

Através de Lei Municipal, o prefeito André Português criou o Projeto de Equoterapia Municipal. O projeto consiste no emprego de cavalos e de técnicas de equitação como agentes e princípios promotores de ganhos físicos, psíquicos e sociais. O uso do cavalo com fins terapêuticos vem de longa data (478-370 a.C.). Na Inglaterra, foi introduzido em 1901. No Brasil, este recurso terapêutico começou a ser valorizado em 1989, em Brasília, com a ANDE/BRASIL (Associação Nacional de Equoterapia), com o apoio dos profissionais de saúde do Hospital do Aparelho Locomotor ? Sarah Kubitschek. No Rio de Janeiro, este trabalho teve início em 1991 com a equipe da Escola de Equitação do Exército.

Ciente da importância na elaboração de políticas públicas, buscando qualidade e inovando no atendimento da saúde no município, o prefeito André Português e sua equipe de saúde vêm desenvolvendo inúmeros projetos e benfeitorias na estrutura de atendimento de saúde e bem-estar da população de Miguel Pereira. Uma das inovações é a implantação do Centro de Equoterapia Municipal, onde a Prefeitura disponibilizará atendimento gratuito às crianças e jovens portadoras de necessidades especiais na região, conforme especificações técnicas.

O Projeto Centro de Equoterapia Miguel Pereira promoverá atendimentos de equoterapia para 40 moradores e deverá chegar a 100 atendimentos por semana. Irá atender pessoas que possuam necessidades especiais, físicas, mentais, visuais, auditivas, múltiplas, portadores de diferentes diagnósticos ambulatoriais e pessoas com déficit de aprendizagem, em situação de vulnerabilidade social, do município de Miguel Pereira.

O tratamento é realizado ao ar livre, em contato com a natureza, sem a monotonia dos consultórios médicos, proporcionando ao praticante a inclusão social e a integração na sociedade, bem como a aceleração do aprendizado, melhorias físicas e psíquicas, como: desenvolvimento sensorial, mecânica respiratória, coordenação motora, lateralidade, inibições de padrões patológicos, maior independência e, principalmente, recuperação da autoestima e da alegria dos praticantes. Para isso, a equipe escolheu como local o Lago de Javary por suas inúmeras qualidades e seu amplo espaço, apropriado para a terapia.

O projeto começa com 3 cavalos, 2 neurologistas, 2 fisioterapeutas, 1 psicólogo, 1 fonoaudiólogo, 1 equitador, 2 auxiliares guias e 1 tratador. Os cavalos ficarão no Parque de Exposições, onde já estão sendo adequadas baias para os animais. Segundo levantamento feito pelo Jornal Regional, esse é o único projeto de equoterapia custeado pelo município.

"Cada dia mais sentimos a necessidade de buscar novos recursos para nossa cidade. O tratamento de equoterapia é um método técnico-científico que utiliza o cavalo como instrumento terapêutico para fins de saúde e que beneficiará uma grande parte da população, que necessita de atenção, carinho e cuidado através dos animais. Quis criar esse projeto através de Lei Municipal para que ele fique permanentemente no Orçamento Municipal", disse o prefeito.

O Centro de Equoterapia Municipal tem previsão de início de funcionamento para o segundo semestre.