Entrevista com Maneko Artemenko, de Paulo de Frontin, conhecido como José Emmanuel

"Não é possível receber tantos recursos públicos e dar ao morador esse tipo de saúde pública"...

11/10/2019 Entrevista Edição 263

Preâmbulo

José Emmanuel, conhecido como Maneko Artemenko, nasceu e cresceu em Paulo de Frontin. Saiu da cidade para buscar realização profissional. Hoje ele participa da gestão da obra da nova Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro; são 150.000 m² de obra no centro financeiro do Rio de Janeiro.

Jornal Regional - Maneko, hoje a região Centro-Sul tem uma nova centralidade com a gestão do prefeito André Português em Miguel Pereira com a evolução da saúde pública, o novo hospital de 29 milhões de reais e o trem turístico, que dará um importante impulso no turismo da região, esta que tem a maior rede hoteleira do estado. Qual sua opinião?

Maneko - Sem dúvida nenhuma o André (prefeito de Miguel Pereira) é a surpresa dessa gestão; o que ele tem feito em Miguel Pereira, nenhum prefeito fez em toda sua história e é esse modelo que precisa ser implantado em Paulo de Frontin.

Saúde pública

Jornal Regional - Como você vê a saúde pública de Paulo de Frontin?

Maneko - É muito precária. Precisamos trabalhar da mesma forma que tem sido feito na nossa cidade vizinha de Miguel Pereira, ainda mais agora com o novo Hospital Municipal Luiz Gonzaga, de 29 milhões de reais. Prefeito não pode ter vaidades, nesse caso, temos que nos unir, buscar parcerias com Miguel Pereira e Vassouras, pois estamos estrategicamente no meio do caminho. André Português está implantando um sistema de saúde pública que vem dando certo, visto que não só o hospital virou referência, mas os postos de saúde também, pois o prefeito André Português vem ampliando todos eles, dando um novo sentido à medicina de bairro e desafogando o Hospital Municipal.

Jornal Regional - Mas e o Hospital de Paulo de Frontin?

Maneko - Vejo que o Hospital de Frontin precisa tomar um outro rumo, precisa de um choque de gestão, como o André vem dando em Miguel Pereira. Vamos ver como estão as contas todas nesses anos. Temos que participar mais de perto. Não é possível que uma entidade receba tantos recursos públicos para dar ao morador esse tipo de atendimento público.

Educação

Jornal Regional - Com a parceria com o governo do estado, Miguel Pereira implantou o segundo Colégio Militar do estado; implantou também a Faetec, que já formou mais de 2.000 alunos. O que você pensa sobre isso?

Maneko - Eu acredito no ensino de qualidade e um Colégio Militar tem mostrado isso. Nós temos aqui o Instituto Federal de Educação, que só no Mato Grosso possui outro curso desse como o que temos aqui. Alunos vêm de todo Brasil, principalmente da região sudeste, como São Paulo. Precisamos dar mais apoio ao Instituto Federal e outras instituições, como a Faetec, que é estadual e precisa vir para Paulo de Frontin. Temos muitos alunos em Miguel Pereira e Paracambi, temos que dar conforto aos nossos moradores e buscar essa parceria com o governador, como foi feito em Miguel Pereira.

Jornal Regional - Miguel Pereira tem outra parceria, desta vez com a Fundação Severino Sombra de Vassouras, e trouxe a Faculdade de Direito, a Faculdade de Gestão Pública e vai trazer um novo campus universitário com Medicina, Enfermagem etc. O que você pensa sobre isso?

Maneko - É isso que queremos. O engenheiro Marcos Capute tem feito uma excelente gestão. Levantou a Fundação Severino Sombra, que estava em uma situação muito ruim, e o Capute é uma referência em saúde pública e ensino de qualidade. Não podemos abrir mão de buscar uma parceria duradoura com o Dr. Capute e essa importante instituição da região. Outra coisa: nossos compromissos com o Hospital Universitário têm que ser não só pagos rigorosamente em dia, como precisamos que esses serviços sejam ampliados para a população de Paulo de Frontin, mesmo porque recebemos recursos federais para essa finalidade. Além disso, vamos buscar pelo menos um curso universitário em nossa cidade.

Turismo e meio ambiente

Jornal Regional - Como você vê o turismo em Paulo de Frontin?

Maneko - Temos um enorme acervo cultural, estação ferroviária e o Castelo de Pedra, como também cachoeiras, trilhas ecológicas, o Lago Azul, que é lindíssimo, e a fantástica estrada Imperial, tudo sem nenhuma exploração, só nós temos isso. Além do mais, 56% do município é coberto de matas, mas como não são protegidas, não recebemos nenhum centavo de ICMS Verde. Vamos mudar isso e aplicar todo o ICMS Verde no meio ambiente para que, cada vez mais, possamos crescer no ranking.

Jornal Regional - Isso é o incentivo ao ecoturismo?

Maneko - Isso, queremos uma parceria entre o poder público municipal, os hotéis, as pousadas e o comércio. Temos uma das cidades mais bonitas da região, é preciso saber "vender" todos esses nossos atrativos.

Jornal Regional - Maneko, e a infraestrutura?

Maneko - Para receber bem não só o turista, mas nossos moradores, precisamos de uma boa infraestrutura. Precisamos reformar a rodoviária e a Câmara de Vereadores precisa ter um endereço próprio; ela não pode funcionar em cima de uma rodoviária. Precisamos asfaltar muitas ruas; não estamos mais na época da carroça, é preciso calçar para redução de custos, manutenção dos carros que, aliás, hoje são todos eletrônicos. Quem vem para cá colocar seu carro nessas estradas?!

Jornal Regional - Como é sua relação com a dona Rosa, viúva do coronel Jurandir?

Maneko - Foi o coronel Jurandir que me deu meu 1º emprego; eu fui diretor de Patrimônio da Prefeitura de Paulo de Frontin. Nossa relação era excelente e se fortaleceu ainda mais com o convívio com a Dona Rosa, já viúva do coronel, pessoa que admiro muito.

Jornal Regional - Nessa conversa, você se mostrou uma pessoa com um olhar diferente em relação à cidade. Isso pode evoluir para uma pré-candidatura?

Maneko - Olha, eu cansei de ver minha cidade sofrer com uma gestão primitiva, sem ideias e que vai levando a cidade ao isolamento; ela vai ficando para trás enquanto as outras vão crescendo, gerando emprego, renda e qualidade de vida. Eu quero trazer isso para Paulo de Frontin, uma gestão inovadora, que faça com que nossos atributos gerem emprego e renda. Sei que hoje estou preparado para isso. Por tudo isso que eu falei hoje, eu sou pré-candidato a prefeito de Paulo de Frontin.