Nossos estudantes merecem respeito

Trata-se do futuro do Brasil, que não aguenta mais os desmandos na área da Educação

07/02/2020 Fala Bizerra! Edição 280

O atual presidente foi eleito com um discurso de que o Estado deve sair da economia e não atrapalhar a vida das pessoas. Mas, o que acontece na prática são intervenções do governo contra trabalhadores, professores, artistas, intelectuais e, agora, contra os nossos estudantes.

Trata-se do futuro do Brasil, que não aguenta mais os desmandos na área da Educação por parte do presidente e do ministro Abraham Weintraub. Para impedir as mobilizações, o governo busca asfixiar o movimento estudantil com a MP (Medida Provisória) da carteira estudantil para eliminar a única fonte financeira das entidades.

Seguramente, porque foram a União Nacional dos Estudantes (UNE), União dos Estudantes Secundaristas (Ubes) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) que realizaram grandes manifestações contra esses desmandos.

A MP perde validade no dia 16/02. Para continuar, precisa ser aprovada pelo Congresso Nacional até dia 13/02. Mas, o governo mostra desgaste também no Parlamento, e não conseguiu nem viabilizar a comissão especial que analisará a matéria.

Isso mostra que o governo pode não consumar sua vingança contra os estudantes brasileiros. Aliás, a oposição já pediu o impeachment do ministro porque este deixou de usar R$ 5 bilhões de recursos na Educação, deixando milhares de escolas sem biblioteca ou laboratório de pesquisa, por exemplo.

Essa MP é um absurdo. A carteira deve ser emitida pelas entidades estudantis, pois é a sua melhor forma de organização. Que deputados e senadores façam valer o respeito à liberdade e autonomia dos nossos estudantes e suas organizações.

 

Marcelo Bizerra é dirigente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro, Paty do Alferes e Miguel Pereira e presidente da ONG Reviva.