Secretaria de Turismo debate medidas de impulsionamento do Turismo fluminense para o período pós-pandemia

Mais de 80 representantes das 92 cidades do RJ participaram da reunião feita por videoconferência. Turismo Regional e Circular serão apostas após a crise

24/04/2020 Turismo Edição 291

A primeira reunião contou com mais de 80 representantes do setor das 92 cidades que compõem o estado do Rio de Janeiro. O encontro aconteceu em etapas, por meio de uma videoconferência feita em três horários distintos, e a pauta continha medidas da pasta para desenvolver a atividade após a crise do coronavírus. O secretário de Estado de Turismo Otávio Leite ressaltou a importância do compartilhamento do vídeo institucional feito pela Setur-RJ sobre o momento de espera para que o visitante possa desfrutar dos diversos destinos após a pandemia. Ele acrescentou que o material já está sendo veiculado nas redes sociais de todo o trade turístico com ampla aceitação dentro e fora do estado. A experiência inédita foi aprovada por todos os participantes e sem dúvida será um instrumento que ficará daqui para frente.

Municípios cobram que as linhas de crédito funcionem

Na reunião, os representantes Wanderson (Vassouras), Ricardo (Nova Friburgo), Marcelo (Itatiaia), Dayana (Paty do Alferes) e Mauro Peixoto (Miguel Pereira) cobraram do secretário que, nesse momento, o importante é manter as empresas abertas e salvar os empregos. Os recursos das linhas de crédito do governo estadual e do governo federal não estão chegando na ponta e precisam do apoio e do peso do secretário de Estado para que problemas burocráticos da Caixa Econômica Federal sejam resolvidos.

Caixa Econômica Federal não estão apoiando

Para Mauro Peixoto, presidente do Conselho de Turismo de Miguel Pereira, "Nosso conselho é muito plural, visto que temos representantes dos segmento de restaurantes, hotéis e pousadas e também artesãos, e por isso sabemos o que está acontecendo com o setor. Eles estão encontrando dificuldade para conseguir se enquadrar nas linhas de créditos abertas pelos governos, em especial a do governo federal, que financia duas folhas de pagamento com carência de 6 meses e dá 36 meses para pagar com juros de 3,75% ao ano, o que seria um enorme apoio aos empresários do turismo e do comércio e um fôlego para passarem por esse momento crítico. Tem banco priorizou financiar quem já tinha a folha de pagamento dos funcionários no banco, assim, como ficam os prestadores de serviços das pousadas, hotéis e restaurantes que são eventuais, só trabalhando nos fins de semana? É preciso que o secretário entre no circuito e ajude a resolver esses problemas", disse o presidente.

O secretário Otávio Leite entendeu o problema, sabe que é complexo, mas afirmou que vai trabalhar nesse sentido na próxima semana.

Pós-pandemia

Estão sendo pensadas novas formas de impulsionar o turismo no período pós-pandemia da COVID-19. O secretário Otávio Leite fez uma reunião na última segunda-feira (20/04) para tentar resolver essas questões. As ações prioritárias para atrair visitantes serão o turismo regional (cidades de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, num raio de 600 km dos destinos fluminenses) e o turismo circular (moradores das cidades do estado do Rio). O secretário acredita que, após a pandemia, o carro será o meio de transporte preferido dos brasileiros, cansados do confinamento em suas casas: "As pessoas estão querendo botar os pés na areia das praias, subir a serra, aproveitar as cachoeiras e respirar ar puro. Este é o público-alvo para a retomada do turismo regional", explicou Otávio Leite.

Na sequência, Otávio destacou o lançamento, que acontecerá em breve, de um novo portal do turismo que irá promover eventos, destinos e experiências, contemplando todos os municípios do estado. A ideia é de que seja produzido também um banco de imagens com fotos e vídeos dos destinos que será veiculado neste novo site. Há a intenção ainda de criar um concurso de fotografias que irá gerar um acervo virtual para a promoção das cidades.

Em seguida, a subsecretária de Turismo Adriana Homem de Carvalho falou sobre o Núcleo de Inteligência e Captação de Eventos (NICE) criado pela Secretaria de Estado de Turismo (Setur-RJ) para dar visibilidade às feiras, congressos, exposições, simpósios e jornadas científicas. Adriana ressaltou o trabalho do Núcleo na identificação desses encontros que atraem milhares de turistas do Brasil e do mundo. A intenção é que as cidades fluminenses possam sediar eventos a partir da alta demanda no período pós-pandemia (segundo semestre).

Por último, Otávio Leite destacou a realização do Salão do Turismo, que este ano deve acontecer de forma autônoma (sem a participação paralela do Rio Gastronomia) e, segundo ele, "será um grande ingrediente turístico para fortalecer o setor no pós-crise". O secretário finalizou pedindo que os representantes enviem a agenda dos eventos que ainda estão previstos para acontecer no interior em 2020.

"O nosso novo portal terá um belo banco de imagens do RJ e o serviço completo de todos os nossos destinos. Ele virá acompanhado de um amplo trabalho de marketing nas mídias digitais. No Salão de Turismo, vamos investir forte nos eventos gastronômicos do estado", concluiu Otávio.

Outros assuntos também foram destacados pelos diversos representantes das secretarias municipais de Turismo, que juntas formam as 12 regiões turísticas do RJ, dentre eles: espaços e centros de convenções em cidades do interior para a recepção de feiras e congressos; parcerias de divulgação em meios digitais; identificação de eventos incentivados (via Lei Rouanet no estado do Rio de Janeiro); fortalecimento do artesanato nos municípios fluminenses; e desenvolvimento de segmentos nas regiões.